Vítima de golpe do boleto falso diz que caiu na inocência

De janeiro a agosto, foram 4.073 reclamações, um aumento de 49,6% com relação ao mesmo período de 2018

Arte/Reclame AQUI

“Olha uma promoção”. Com esse anúncio e um desconto de 50% para quitar uma dívida, um consumidor de Itajaí, Santa Catarina, não pensou duas vezes quando recebeu o boleto em aberto da sua assinatura de TV a cabo. “Paguei na inocência e na confiança. Tempo depois, cobrança à toa, adivinha! Boleto não foi pago”. Assim como ele, várias pessoas foram vítimas do desconto de 50% falso por boleto, alertado pelo Reclame AQUI Notícias em maio deste ano.

De janeiro a agosto, foram 4.073 reclamações, um aumento de 49,6% com relação ao mesmo período de 2018, quando foram computadas 2.723 queixas. E pior que realizar o pagamento de um boleto falso, o consumidor ainda tem o sinal cortado na maioria dos casos. “Realizei o pagamento do boleto enviado por e-mail. Dias depois, o meu sinal de internet e TV foi cortado”, relatou um reclamante do Rio de Janeiro, RJ.

Como identificar

O consumidor recebe um boleto, normalmente por e-mail, com uma proposta de 50% de desconto para quitar a dívida. Quase todas as informações do boleto são verdadeiras, desde a identidade visual da empresa até os dados do cliente, incluindo o valor da dívida.

Diego Campos, diretor de operações do Reclame AQUI, destaca a situação mais comum. "Eles acreditam que pagaram um boleto legítimo, quitaram a dívida com o fornecedor do serviço e estão se queixando que ou sinal ainda não está habilitado, ou que ele ainda continua recebendo avisos de cobrança, que ele acredita que não deveria estar mais.”

Paguei. E agora?

Em entrevista para o Reclame AQUI Notícias, o advogado e sócio do escritório Fernandes Christófaro Advocacia, Danilo Christófaro, disse que se o consumidor caiu no golpe, pode entrar em contato amigavelmente com a loja ou o banco, conforme o caso, e pedir o ressarcimento. Se nenhum deles quiseram ressarcir, o consumidor pode buscar o judiciário.

"A empresa emissora do boleto tem o dever de prestar um serviço de qualidade, que envolve, dentre outras obrigações, a de zelar pela segurança dos clientes e das operações que realiza, como a emissão do boleto. Esse é um risco inerente ao negócio de quem emite boletos, e esse risco não pode ser repassado ao consumidor", conclui.

Leia: Em grandes promoções, fique atento para não cair em golpes

Faça um comentário