Varejistas encaram com criatividade os desafios da era digital

Uso das plataformas digitais tem sido uma boa saída para crescer e oferecer boas experiências de compra aos consumidores

Reclame AQUI

Manter uma loja física na era digital é um grande desafio para os varejistas. E usar as ferramentas digitais a seu favor, fazendo com que a lucratividade se mantenha tem sido um campo de boas ideias. Os maiores desafios são atrair e manter o consumidor fiel ao seu negócio, quando ele exige mais diferenciais e facilidades na jornada de compra. Mas rendem bons resultados.

Adaptação à era digital

Em Heliópolis, comunidade com mais de 200 mil habitantes na Zona Sul de São Paulo, a comerciante Edilma Santos é um exemplo dessa adaptação. A loja de roupas femininas nasceu há 8 anos e de lá para cá tem crescido e ganhando novas companhias: as vendas online. Foi pesquisando redes sociais e as ferramentas de cada uma que Edilma vem inovando seu negócio com criatividade e dando bons exemplos de Customer Success.

“A loja física é o carro-chefe, mas não poderia ficar para trás. Então aproveito o que o mundo digital me oferece e adapto à minha realidade. Sempre fiz muitos vídeos, lives para as clientes com as novidades da loja, desfiles nas ruas de Heliópolis com modelos da comunidade e tudo o que eu penso é dar uma experiência de compra dentro da comunidade com qualidade”, explica.

Quanto mais criatividade, melhor a experiência integrada de compra

Desde que apostou nas plataformas digitais, Edilma conseguiu um crescimento de 70% nas vendas. Sua criatividade e comunicação direta com o público da loja rendem picos de 15 mil visualizações de seus stories no Instagram, onde tem mais de 100 mil seguidores.

“Depois da loja física, a plataforma digital que mais me traz resultados é o Instagram.  Já sei quais são os dias com mais engajamento na rede e uso isso ao meu favor. Vendo por ali, pelo Facebook e agora estamos próximos de inaugurar o site da loja. Estou feliz demais”.

Para se ter uma ideia, Edilma reformou a loja e deu uma “cara de shopping” para dar uma experiência de compra semelhante às clientes, com o mesmo conforto que teriam no shopping, mas na loja dela dentro da comunidade.  

E muito do que o ambiente digital “pede”, Edilma procurar acompanhar: vender online e retirar no off-line, entregar na casa do cliente e até consultoria de moda, ela faz pelas redes.  “Já enviei mercadoria para Nova Iorque, Pará, Pernambuco e Bahia, só posso comemorar. Quanto mais arrisco, mais certo dá!”, celebra.

Planejamento para atender melhor os consumidores

Hoje ela tem 4 colaboradoras na loja. Por conta da demanda digital, já pensa em contratar mais 4, para manter a qualidade do atendimento online também, já que o engajamento nas redes sociais se converte em vendas. E está de olho na época de Natal, quando as vendas aumentam, planeja contratar mais 4 pessoas.

No vídeo, Edilma conta sua experiência e dá algumas dicas do que ela pratica no dia a dia e que têm funcionado no seu estilo de negócio.

Faça um comentário