Usuários do metrô de São Paulo reclamam sobre inclusão de música nos vagões

Foram mais de 90 queixas questionando o propósito e o volume do som ambiente

Reprodução

Desde o início de julho, os usuários do metrô da cidade de São Paulo estão vivendo uma experiência diferente nas viagens. Isto porque começou a tocar nos vagões listas de músicas nacionais e internacionais, entre elas música clássica, Samba, Jazz, Bossa Nova e outros ritmos. Mas, a novidade não agradou a todos.

No Reclame AQUI, o número de queixas para o Metrô de São Paulo disparou. Foram 92 reclamações sobre o som ambiente registradas desde a data em que a ação foi iniciada, até o dia 3 agosto. Muitos usuários questionam o propósito da nova ação e também a altura do volume das músicas.

“Desnecessário tocar música no metrô, é estressante. Atrapalha você de descansar, de ficar em paz de ter uma viagem tranquila, atrapalha em uma conversa seja no aparelho celular ou com um amigo. É extremamente irritante”, reclamou um usuário.

Investimento

O Instituto de Cultura e Cidadania (iCult), responsável por gerir a lista de mais de 200 músicas, recebe R$ 39 mil mensalmente do governo do Estado. O pagamento inclui a seleção das trilhas, manutenção do sistema de som e recolhimento dos direitos autorais (ECAD), que recaem sobre aproximadamente 30% do total da lista (os outros 70% são de livre execução). O serviço funciona por 10 horas diárias nas Linhas 1–Azul, 2–Verde e 3–Vermelha.

O Reclame Aqui Notícias entrou em contato com o Metrô SP, que não respondeu até o fechamento desta matéria.

Está insatisfeito com algum serviço? Reclame AQUI!

Faça um comentário