Telefonia móvel tem 35 milhões de linhas pré-pagas canceladas

Diante da crise econômica, brasileiros procuram cortar gastos de todas as formas

Reprodução

O brasileiro está procurando maneiras de cortar gastos diante da crise econômica, e um dos setores que sentiu essa mudança foi o de telefonia móvel. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), de janeiro do ano passado a junho deste ano, cerca de 35 milhões de linhas pré-pagas foram canceladas no país.

Mas a crise não é a única explicação para os números negativos. Os consumidores estão buscando alternativas mais econômicas para se comunicar, trocando mensagens por aplicativos e, até mesmo, realizando ligações através da internet.

Confira: Você tem diversos direitos ao fazer uma portabilidade telefônica

Vendo toda essa mudança, as operadoras perceberam que era preciso se atualizar. De acordo com a Anatel, o valor do minuto de voz passou de R$ 0,19 para R$ 0,11 nos últimos quatro anos - uma queda de 38,19%. Os pacotes de dados caíram ainda mais: o valor médio do megabyte caiu de R$ 0,7 para R$ 0,3, diminuição de 49,36 %.

Ainda segundo a Anatel, medidas regulatórias foram implantadas levando as empresas a diminuir os valores da chamada interconexão entre as redes de prestadoras - uma espécie de pedágio cobrado pelas empresas quando a ligação é feita para outra companhia. Isso desobrigou os usuários a usar vários chips.

Expectativa

Até dezembro, a expectativa do setor é de que mais 20 milhões de linhas pré-pagas desapareçam, totalizando 55 milhões, o equivalente ao número de usuários de celulares da Colômbia, por exemplo.

O recuo no valor das recargas este ano, em comparação com 2015, chega a 11,5%. Para o usuário, a concorrência é sempre bem-vinda.

Fontes: UOL/G1

Faça um comentário