Saiba quais são seus direitos durante a greve dos Correios

O Reclame AQUI separou alguns pontos importantes para orientar os consumidores

RyanKing999/Thinkstock

A greve geral dos Correios, que começou na noite de terça-feira (10) em todo Brasil, pode trazer alguns prejuízos a quem depende diretamente da empresa estatal. Atraso ou até mesmo a não entrega de produtos e contas, por exemplo, preocupam consumidores. Mas eles podem procurar seus direitos.

O Reclame AQUI separou alguns pontos importantes para orientá-los e que não se sintam prejudicados durante a greve, que é por tempo indeterminado. Confira:

Se não receber encomendas

O consumidor pode pedir o ressarcimento ou o abatimento do valor pago para a empresa que vendeu o produto. É de responsabilidade da empresa vendedora encontrar um meio de fazer a entrega.

Se a mercadoria atrasar ou for cancelada

Caso esse problema aconteça após o pagamento, o consumidor pode procurar seus direitos na Justiça e pedir indenização por dano moral ou material.

Quem vende, o que fazer?

As empresas são responsáveis por encontrar uma maneira alternativa de fazer os produtos chegarem aos seus destinos de dentro do prazo contratado.

E no caso de correspondências?

Da mesma forma, as cobranças enviadas por correspondência devem chegar aos clientes por outros meios, como internet, sede da empresa, depósito bancário ou empresa terceirizada.

E em caso de contas?

As contas a pagar precisam ser quitadas pelo consumidor. O que deve ser feito é negociar, com o cobrador, antes do prazo de vencimento, uma nova data para quitar ou até mesmo uma nova forma de pagamento do boleto, da fatura. E caso a empresa não disponha de alternativas de pagamento, será preciso prorrogar o vencimento.

A greve

A decisão foi tomada pela categoria na noite de terça-feira (10) em protesto à proposta de privatização defendida pelo Governo Federal e por um novo acordo coletivo, já que até agora não houve entendimento para reajuste de salários e benefícios. Além disso, os trabalhadores querem a manutenção de direitos já conquistados, como a inclusão de pais e mães do plano de saúde.

Os Correios informaram que algumas medidas foram adotadas para impedir que os serviços sejam afetados e garantiu o funcionamento de 82% do efetivo. Entre as ações estão o deslocamento de colaboradores administrativos, o remanejamento de veículos e a realização de mutirões.

Fonte: Metrópoles/Metro

Faça um comentário