Rede de Apoio completa uma semana de atividades e solidariedade

Até agora, foram registradas mais de 170 histórias com pedidos de ajuda, mais de 160 pessoas físicas e empresas se cadastraram dispostas a colaborar

Reclame AQUI

Nos últimos dias, a vida de muitas famílias recebeu um carinho especial para atravessar esse momento tão difícil provocado pela pandemia do novo coronavírus. Hoje, completa uma semana que o projeto Rede de Apoio, do Reclame AQUI, tem colocado em contato pessoas de todo o Brasil que precisam de ajuda com as que podem ajudar. Até agora, foram registradas mais de 170 histórias com pedidos de ajuda, mais de 160 pessoas físicas e empresas se cadastraram dispostas a colaborar.

Durante esta semana, cruzaram o Brasil cestas básicas, medicação, leite especial para crianças, auxílio financeiro para quitar aluguéis e muito álcool gel e máscaras. Junto com esses produtos, foi um abraço virtual de cada doador. E como retorno, mensagens de agradecimento em forma de vídeo, de áudio, muita foto e o desejo e a esperança de poder retribuir com ajuda outras pessoas, quando a situação melhorar, como a Karen, de Osasco, que recebeu alimentos e ajuda financeira para o aluguel e deixou essa mensagem pra equipe de apoio.

Abaixo, separamos também algumas histórias de famílias que já foram ajudadas!

 

 

Leite especial

Em Campinas, uma mãe de 4 filhos recebeu a doação de latas da fórmula infantil Aptamil Active. Como ela não pode trabalhar porque os filhos tiveram as atividades na creche suspensas por causa do novo coronavírus, precisou de ajuda para o leite especial. O filho mais novo consome 6 latas por mês e tem muitos problemas digestivos caso não tome esta fórmula.

 

Dificuldade com o desemprego

Em Aparecida de Goiânia, a Francis precisava de ajuda com leite, fralda e dinheiro para passar pelos próximos dias até receber novamente seu salário. Um doador conseguiu ajuda financeira para ela travessar esses dias difíceis. “Meu marido está desempregado desde ano passado, já acabou o seguro desemprego, somos 4 pessoas (uma criança de 3 anos) e no momento somente eu trabalho. O meu salário de março já acabou, e com os reajustes mascarados e o aumento do tempo em casa fez a alimentação ter um custo maior do que o normal. Desde já agradeço a todos. Obrigada”.

 

Ajuda a refugiados

Em São Paulo, uma família de refugiados sírios contou coma ajuda da Elaine para pedir ajuda. Pelo Rede de Apoio, conseguiram amparo para quitar o aluguel que deviam e o adiantamento do próximo. Desde dezembro de 2019 ela ajuda na acolhida de algumas famílias refugiadas, uma delas uma mãe com 3 filhos e, também, a da irmã com o marido e dois bebês. Eles moram juntos em uma sobreloja de 2 quartos, no Brás.

Conforme a Elaine, nenhum deles fala português. Em fevereiro, dois adultos conseguiram trabalho em restaurantes, mas com a crise de saúde pública, perderam o emprego. Em contato com o proprietário do apartamento, foi possível negociar com desconto o aluguel de maio, mas a família precisava pagar o aluguel de abril. Para março, eles haviam conseguido cesta básica, leite especial para a bebê, leite para as crianças e fraldas.  

“A família é muito especial e vieram ao Brasil com visto de ajuda humanitária em decorrência da guerra. O sorriso dessas crianças, seus bracinhos abertos para um abraço, faz minha alma florescer e me sinto verdadeiramente amada quando estou com elas. Elas aprenderam a cantar "cabeça-ombro-joelho e pé, joelho e pé" e quando me veem, uma ao lado da outra, começam a cantar com gestos - acho que querem dizer "tia, nós não esquecemos o que você nos ensinou.

As três crianças que perderam o pai, trouxeram consigo traumas por causa da guerra na Síria. Precisamos ajudá-los a sobreviver a essa guerra no Brasil. Tenho procurado assisti-los de muitas formas, mas com o acirramento da crise, minhas possibilidades não são suficientes. A quem puder ajudá-los, tem minha eterna gratidão. "Quando você vê seu irmão ou sua irmã sofrendo, não deve ficar em silêncio. Não fique parado. Vá socorrê-los. Ajude-os"”, contou Elaine na mensagem que deixou no site.
 

 

Quando você acessar o Reclame AQUI, vai encontrar bem no topo da página um banner de apresentação onde haverá dois botões: “Preciso de ajuda” e “Quero ajudar”. É ali que iniciam as conexões.

Para pedir ajuda

É bem simples. Você pode entrar pelo site do Reclame AQUI ou acessar por este link https://bit.ly/3ao6CRT e clicar no botão “Pedir ajuda”. Lá, você conta a sua história e deixa o resto com a gente. Se você precisa de mantimentos, sua família está passando por alguma necessidade, precisando de máscaras, álcool gel, ou o hospital em que você trabalha está faltando máscaras ou algum artigo importante para esse momento, use esse espaço, é para você solicitar ajuda.

 

Para ajudar

Se você é uma empresa ou um cidadão que tem condições de ajudar nesse momento com produtos, mantimentos, outras ações ou qualquer outra ajuda, você também pode entrar pelo site do Reclame AQUI ou acessar por este link https://bit.ly/2Umi2Qn. Lá, você vai se cadastrar.

Leia tudo sobre

Feed Rede de Apoio

Faça um comentário