Reclamações sobre recalls de airbags mortais aumentam 174% em 2018

Marcas dizem ter dificuldades para encontrar os donos atuais dos veículos convocados

iStock

Depois de uma falha, o airbag explode ao ser acionado, projetando fragmentos metálicos contra os ocupantes do veículo. É isso que acontece com os chamados "airbags mortais", que são motivos de convocações de recalls pelas concessionárias.

De acordo com o levantamento feito pelo ReclameAQUI, em comparação ao primeiro trimestre de 2017, as reclamações sobre os “airbags mortais” tiveram um aumento de 174% no mesmo período em 2018. 

Segundo o G1, mais de 1 milhão de carros em recall por causa dos airbags mortais ainda não foram reparados no Brasil. As marcas alegam ter dificuldades para encontrar os donos atuais dos veículos convocados. E aqueles que receberam o comunicado, não tiveram ainda seus carros consertados.

Reclamações

“Já venho tentando agendar a substituição dos airbags mortais e nenhuma concessionária possui a peça. Estou correndo sério risco e nada da Nissan tomar providências”, relata consumidor de São Paulo, no ReclameAQUI.

Outro motorista diz que faz mais de seis meses que a peça do airbag não chega a concessionária. “Recebi uma carta informando da necessidade de recall no meu Toyota Etios 2014. Agendei o serviço e quando fui a concessionária fui informada que tinha somente uma das peças do airbag do lado do passageiro e que iriam inabilitar o Airbag do motorista para que a peça fosse trocada assim que disponível. Já se passaram mais de 06 meses e a peça não chegou”.

Problemas ao participar de um recall? ReclameAQUI!

A Toyota afirma, em entrevista ao G1, que não há fila de espera para reposição das peças, mas que podem haver casos pontuais. Já a Nissan, que tem mais de 224 mil veículos convocados para o recall, não se pronunciou.

Fonte: G1

Leia tudo sobre

Automóveis Feed Polêmica Recall

Faça um comentário