Queixas sobre milhas aéreas aumentam 788% em 2018

Mais de 5,5 mil reclamações foram registradas contra as quatro empresas mais reclamadas da categoria

Divulgação

A 1ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJ-DFT) decidiu, por unanimidade, condenar as empresas LATAM Airlines – TAM e Qatar Airways por danos morais causados a um passageiro que não conseguiu emitir suas passagens aéreas por pontos acumulados no programa de milhagens.

Ao tentar emitir as passagens por meio do site que disponibiliza o benefício, o consumidor não conseguiu emitir os bilhetes. Ao contatar as empresas, foi informado de que o trecho em questão estava disponível apenas para compra, não havendo a possibilidade da troca por milhagem. O cliente, então, entrou com uma ação na Justiça contra as companhias, pois o próprio site do programa de fidelidade fazia publicidade a respeito da troca.

As empresas foram condenadas a pagarem um valor solidário de R$ 7 mil ao cliente por danos morais. O consumidor recorreu, buscando aumentar o valor da indenização, mas a sentença foi mantida integralmente pelo Tribunal do Distrito Federal.

O que as empresas disseram?

Em sua defesa, a LATAM alegou que não cometeu nenhum ilícito que pudesse ser passível de indenização. Já a companhia do Qatar afirmou que em seus aviões há um número limitado de assentos para resgate por milhas. Também alegou não possuir responsabilidade por bilhetes emitidos pelo site de outra empresa.

Reclamações no Reclame AQUI

Este não foi um caso isolado. Segundo dados levantados pelo Reclame AQUI Notícias, em 2018, mais de 5,5 mil reclamações foram registradas contra as quatro empresas mais reclamadas da categoria MilhasTudo Azul, MaxMilhas, HotMilhas e EloMilhas. Em 2017, foram 629 queixas relatadas. Ou seja, em um ano, as companhias sofreram um aumento de 788,7%, quase 9 vezes mais que em 2017.

A empresa Tudo Azul, cadastrada há um ano no Reclame AQUI, foi a que teve o maior disparo no número de reclamações. Em 2017, não havia queixas registradas. Já em 2018, subiu para 2,7 mil reclamações. Mesmo assim, desde 2018, a empresa é a única das citadas que se mantém com a reputação “Ótimo” e o índice de solução em 85,9%.

Principais problemas da categoria

  • Milhas não creditadas;
  • Não recebi o pagamento;
  • Propaganda enganosa;
  • Utilização de pontos e milhas;
  • Problemas na finalização da compra.

Já viu? Seguros e telefonia são líderes de reclamações sobre venda casada

Fonte: Gazeta do Povo

Faça um comentário