Queixas envolvendo empresa de gás encanado dobram em 2019

Clientes se queixam de cobrança indevida, abusiva e de mau atendimento

Reclame AQUI

Cada vez mais a procura por chuveiros a gás tem aumentado no Brasil. E parece que no inverno o episódio se repete com mais frequência. Afinal, ninguém quer chegar em casa depois de um dia cansativo e se deparar com o chuveiro queimado. Mas nos últimos meses o que mais tem incomodado os consumidores é o valor pago no gás.

Segundo dados do Reclame AQUI, de janeiro até as 10h25 do dia 6 de agosto de 2019, mais de 1,5 reclamações foram relatadas contra a Comgás (Companhia de Gás de São Paulo). Nos meses de junho e julho, as queixas sofreram um aumento significativo comparado aos outros, e justamente por conta de clientes que se queixaram sobre cobrança indevida ou abusiva nesse período.

A Comgás possui a reputação “Não recomendada”, 25% das reclamações respondidas e 0% de índice de solução no Reclame AQUI.

Maioria dos consumidores reclama de cobrança indevida

São 278 reclamações somente sobre cobrança indevida e abusiva nos últimos 7 meses. Em 2017, foram 151 queixas, e em 2018, 95 relatos. Além desses dois motivos, mau atendimento e demora na execução estão entre os principais problemas relatados.

 

Mês

2016

2017

2018

2019

jan

30

20

18

27

fev

27

23

12

36

mar

28

21

15

22

abr

19

15

15

22

mai

20

19

11

30

jun

22

26

16

48

jul

28

27

8

93

Total

174

151

95

278

 

“É uma verdadeira falta de respeito com o consumidor o aumento de 27% do gás encanado. Meu gasto de R$76,00 foi para R$132,00, diferença de mais de R$50,00. Todas as pessoas do meu condomínio notaram a diferença. Não existe justificativa de repasse de valores não concedidos no passado que caiba nesse absurdo. Irei recorrer a outros órgãos e ao máximo de pessoas sobre esse abuso!”, registra um consumidor de Mauá, São Paulo.

Outro cliente da Comgás, desta vez de São Bernardo do Campo, São Paulo, relata que “desde o dia 4 de julho registrei uma reclamação devido ao aumento na minha conta de gás que disparou de uma média de 120,00 para 182,00 na fatura de junho. Fiz um levantamento e gostaria de saber qual o critério usado para um aumento tão absurdo no valor do metro cúbico. Liguei, mas fiquei 30 minutos no aguardo da transferência e ninguém me atendeu. Eu desliguei a ligação! Que absurdo esse tempo de espera! E a falta de retorno”.

O que fazer nesses casos?

Segundo o diretor de operações do Reclame AQUI, Diego Campos, a Comgás é uma empresa regulada. “Ela não pode subir o valor por decisão própria. Quem autoriza o aumento de tarifa é a Arsesp, que é uma agência reguladora vinculada ao Governo de São Paulo”.

Em casos como o do cartorário Sérgio Ricardo Betti, de Osasco, São Paulo, que viajou o mês de julho inteiro e a conta do gás triplicou, Diego afirma que “esses são casos que precisam ser analisados, pois na teoria não houve consumo. Minha análise está baseada apenas no fato de que agora estamos pagando mais pelo mesmo uso”.

“Para reclamar do reajuste de tarifa, acredito que os consumidores devem procurar o Ministério Público e fazer uma denúncia, além de órgãos de proteção aos consumidores”, aconselha Campos. "Aqueles que acreditam que a medição está errada devem procurar a empresa ou outras plataformas de atendimento como o Reclame AQUI, e posteriormente até o judiciário”.

Posicionamento da Comgás

A Comgás esclarece que é uma empresa regulada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (ARSESP) e que, nesse contexto, suas tarifas são estabelecidas pelo órgão regulador. A empresa mantém à disposição dos clientes os canais de relacionamento para esclarecimento de dúvidas: Comgás Virtual, Aplicativos para celulares, autoatendimento, redes sociais e chat. Temos ainda a Central de Atendimento e Emergência 24h (08000 110 197).

Já leu? Agendou um serviço e depois recebeu uma ligação suspeita?

Faça um comentário