Prefeitura de SP recebe queixas sobre cadastro no sistema controle de lixo

Usuários reclamaram que não conseguiam acessar o site para se cadastrarem na última segunda-feira (9)

Chalabala/Getty Images

A Prefeitura de São Paulo prorrogou o prazo para que todas as empresas situadas na capital paulista se cadastrem no sistema de controle de lixo do munícipio. O prazo foi estendido até dia 31 de outubro.

Porém, usuários reclamaram que não conseguiam acessar o site para se cadastrarem na última segunda-feira (9), que inicialmente era a data limite. Segundo dados do Reclame AQUI, de janeiro a dia 10 de setembro (nesta terça-feira), 751 queixas foram registradas contra a Prefeitura. Destas reclamações, 5% são sobre o cadastro.  

Quais empresas devem se cadastrar?

O objetivo da gestão municipal é fiscalizar para onde vai todo o resíduo dos estabelecimentos comerciais, principalmente daqueles chamados grandes geradores (que produzem mais de 200 litros de lixo por dia).

No entanto, as pequenas e microempresas também devem se cadastrar. Segundo o decreto, toda empresa com CNPJ, seja do tipo ME, MEI, EIRELE ou outra, deve se regularizar.

A multa prevista para os grandes geradores que não fizerem a inscrição gratuita pelo site é de R$ 1.639,60.

O cadastro

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, devem se cadastrar todas as empresas situadas no município, bem como as de fora que prestam serviços no município em processos de transporte, manuseio, reciclagem ou destino de resíduos sólidos gerados na cidade.

Acesse o site da Amlurb e cadastre-se usando uma conta de e-mail válida - ela servirá de login e para comunicações futuras com a autoridade. Não há custo para o uso do sistema, mas os grandes geradores deverão pagar uma taxa anual de até R$ 228.

Já leu? Vítima de golpe do boleto falso diz que caiu na inocência

Fonte: G1/Destak

Leia tudo sobre

Feed São Paulo

Faça um comentário