Novas regras do Bilhete Único entram em vigor em julho

Mudança deve afetar 120 mil passageiros que usam mais de duas viagens

Reclame AQUI

As novas regras para o Bilhete Único foram divulgadas no último sábado, dia 6, no Diário Oficial do Município pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes da Prefeitura de São Paulo. A portaria regulamenta o decreto divulgado em 23 de fevereiro e vai entrar em vigor em julho.

Na cidade de São Paulo, cerca de 1,5 milhão de pessoas usam o vale-transporte e, de acordo com a secretaria, a mudança deve afetar 120 mil passageiros que usam mais de duas viagens.

Em relação ao valor da integração, nada muda. Se forem dois ônibus, o passageiro continua pagando apenas o valor de um. Se o outro embarque for no Metrô ou na CPTM, o usuário paga a diferença.

No Reclame AQUI

Segundo dados levantados pelo Reclame AQUI Notícias, em um ano, foram registradas 996 reclamações envolvendo o Bilhete Único da SPTrans. Comparando o primeiro trimestre de 2018 e de 2019, as queixas sofreram um aumento de 41,8% no site do Reclame AQUI.

O que deve mudar?

  • Cada usuário terá direito a apenas um Bilhete Único, de acordo com o seu CPF. O passageiro pode pedir uma segunda via em caso de inutilização, extravio, perda, furto, roubo ou cancelamento;
  • Os cartões de tecnologia antiga (sem foto; I – Cartões Classic 1K, códigos 52 e 59 e II – Cartão Plus 4K, código 110) perderão a validade em 1º de junho. Neles, o usuário só pode carregar o valor equivalente a dez tarifas (R$ 43). Depois desta data, o passageiro deverá entregar seu cartão antigo à SPTrans e solicitar um novo. Os créditos remanescentes poderão ser transferidos gratuitamente;
  • Os cartões para quaisquer dos perfis de usuários do Serviço de Transporte Coletivo Público de Passageiros na Cidade de São Paulo serão fornecidos exclusivamente no modo personalizado, mediante prévio cadastro do usuário portador;
  • Para a primeira emissão do bilhete, o passageiro vai pagar o valor correspondente a sete tarifas de ônibus (a tarifa atual custa R$ 4,30, portanto, o usuário vai pagar R$ 30,10 pelo bilhete);
  • Se você teve o cartão furtado ou extraviado, deve ligar para o telefone 156 e solicitar o imediato cancelamento, caso contrário, poderá responder por eventuais irregularidades. O usuário deverá apresentar o Boletim de Ocorrência e pagar um valor de sete tarifas para obter uma segunda via do bilhete;
  • Segundo a portaria, sempre que a passagem do transporte público aumentar, o usuário terá 180 dias a partir do reajuste para usar os créditos da tarifa antiga. Depois deste prazo, passará a ser descontado do eventual saldo remanescente acumulado o valor da nova tarifa vigente;
  • Os créditos adquiridos até 23 de fevereiro têm cinco anos de validade. Os adquiridos depois desta data, terão um ano para serem usados;
  • Se o usuário ficar um ano sem usar o Bilhete Único, o cartão será inativo. O passageiro poderá transferir os créditos para uma segunda via do cartão. Expirado o prazo de transferência ou a validade dos créditos, o valor será destinado ao serviço de transportes;
  • A validade dos créditos dos bilhetes temporais (diário ou mensal) passa a ser contada a partir da primeira utilização (24 horas para o bilhete diário e 31 dias para o bilhete mensal).
  • A portaria determina ainda punições para o caso de fraudes com cartões, que podem ser de seis meses, um ano, dois anos eu cancelamento definitivo.

Já leu? Cia aéreas começam a fiscalizar tamanho das bagagens de mão

Fonte: G1

Faça um comentário