Multas de trânsito sofrerão reajuste de até 66%

A partir de novembro, uso do celular ao volante se torna infração gravíssima

Reprodução

A presidente Dilma Rousseff sancionou, na última quinta-feira, dia 5, medidas que alteram as punições previstas no Código Brasileiro de Trânsito (CTB), principalmente com aumento no valor das multas. A partir do dia 5 de novembro, elas sofrerão reajustes entre 52% e 66% em todo o país.

As multas básicas não sofriam reajustes desde 2002, quando uma resolução fixou o valor atual. As elevações que ocorreram desde então foram para certas infrações consideradas mais perigosas e por meio de um fator multiplicador.

Confira os novos valores:

Infração leve

- De R$ 53,20 para R$ 88,38 (aumento de 66%)

Infração média

- De R$ 85,13 para R$ 130,16 (aumento de 52%)

Infração grave

- De R$ 127,69 para R$ 195,23 (aumento de 52%)

Infração gravíssima

- De R$ 191,54 para R$ 293,47 (aumento de 53%)

Celular ao volante

Só de janeiro a novembro do ano passado, as multas por uso de celular ao volante cresceram 22% em relação ao mesmo período de 2014. Essa punição terá um peso ainda maior para o motorista.

Atualmente considerada uma infração média, passará a ser gravíssima. Com isso, ao mudar de categoria, terá um reajuste extra – o valor da autuação subirá 125%, de R$ 130,16 (infração média) para R$ 293,47 (gravíssima).

Teste do bafômetro

A nova legislação também cria infração para quem se recusar a fazer o teste do bafômetro ou qualquer exame que permita constatar o nível de álcool no sangue do motorista. Esse tipo de conduta poderá acarretar em multa de R$ 2.934,70 e deixar o condutor com a carteira suspensa por 12 meses.

Fontes: Folha de S. Paulo/Autoesporte

Leia tudo sobre

Trânsito

Faça um comentário