Mauricio Vargas: conheça 16 previsões para 2020

CEO Global do Reclame AQUI analisa as tendências para empresas e consumidores no próximo ano

Divulgação

Durante todo o ano, o Reclame AQUI acompanha o comportamento de consumidores e empresas para além das reclamações. As histórias construídas e contadas no site todos os dias fazem do Reclame AQUI uma plataforma de inteligência de dados, que ajudam a traçar tendências no ambiente econômico, estratégico e comportamental.

E foi isso que o CEO Global do Reclame AQUI, Mauricio Vargas, fez recentemente no seu Linkedin

Com 16 previsões para 2020, ele traz uma leitura sobre as mudanças que consumidores e companhias podem passar no próximo ano. Confira!

 

01- As empresas de telefonia vão continuar ABUSANDO da paciência do consumidor e vão continuar entregando menos que prometem. Em 2020, ainda vão utilizar a estratégia de resolver seus problemas na justiça, porque por incrível que possa parecer, é mais barato para elas.

 

02- As cias aéreas ainda irão extraviar suas malas, os voos ainda devem atrasar, a comida a bordo será cada vez mais rara e **AINDA MAIS ITENS devem passar a ser cobrados**. A grande notícia do setor é que algumas cias começaram a perceber que o bom atendimento pode virar recorrência.

 

03- Os bancos tradicionais ainda vão correr atrás do tempo perdido, com muito medo das fintechs. Em 2020, consumidor ainda será o foco central só nas propagandas e nas paredes dos prédios.

 

04- Bancos de investimento e fintechs que apostaram na renda variável têm o desafio de mostrar para o público em geral que vale a pena deixar a poupança e investir de modo mais efetivo. A comunicação e o ATENDIMENTO dessas empresas vão ter de se adaptar para serem vetores dessa transição cultural. 

 

05- A indústria de eletroeletrônicos aparentemente ACORDOU e começa a entender que o consumidor pode ser dela e vai começar a venda direta.

 

06- As empresas de cartão de crédito estão APAVORADAS com os sistemas de pagamentos instantâneos e vem coisa boa para o consumidor.

 

07- No turismo muita coisa vai mudar. Grandes empresas tradicionais terão sérias dificuldades, especialmente com a entrada de empresas estrangeiras e novos players que devem nascer no Brasil.

 

08- O setor de móveis planejados definitivamente vai sofrer a sua maior queda em 2020, gerando novas oportunidades para EMPRESAS focadas em experiência do cliente.

 

09- A guerra dos marketplaces vai forçar os grandes players a investirem no atendimento e PÓS-VENDAS. **O controle de qualidade dos sellers está além da capacidade logística das redes, que terão de ouvir o consumidor cada vez mais para saberem como organizar suas operações.** 

 

10- Hipermercados começarão a não fazer mais sentido para as empresas e muito menos para os consumidores. 

 

11- Lojas de departamentos tradicionais começarão a não rentabilizar positivamente, forçando uma mudança na estratégia de novas lojas. **Estratégias O2O, mesclando a experiência online e offline, farão a diferença entre vencedores e vencidos.** 

 

12- A venda por catálogo eletrônico poderá voltar fortemente em 2020, podendo inclusive ser entregue por aplicativos.

 

13- Empresas de delivery que não respeitarem seus entregadores e seus parceiros podem ter dificuldades, além de terem que eliminar parceiros que não sabem trabalhar com entrega.

 

14- Aplicativos de mobilidade como UBER não vão conseguir fechar suas contas também em 2020. Metade dos motoristas estão pagando para trabalhar, trocando seis por meia dúzia. Quem diminuir o percentual cobrado do motorista e focar na qualidade verá uma luz no final do túnel.

 

15- Quase nenhuma empresa está falando do 5G, e esta tecnologia pode mudar tudo em todas as indústrias. Sem falar na LGPD, que vai sair distribuindo multas no final de 2020.

 

16- Os super apps podem invadir o Brasil, e talvez a grande novidade venha da CHINA.

Faça um comentário