Gás de cozinha sobe de preço novamente, após 1 mês

Encarecimento do petróleo e maior demanda em 2020 têm contribuído para o aumento do valor do botijão

Reclame AQUI

2021 já começa com mais um peso para as contas do consumidor. Em dezembro, a Petrobras já havia anunciado o aumento de 5% para o gás liquefeito de petróleo (GLP), usado para abastecer os botijões de cozinha. Agora, na primeira semana de janeiro, o valor sofreu novo reajuste, de 6%. 

Este já é o maior valor do gás de cozinha no país, que vem em uma crescente de preço nos últimos anos. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biodiesel (ANP) afirma que o preço médio de revenda do botijão de 13 quilos foi de R$ 69, em março de 2020, para R$ 75 em novembro. É importante lembrar que há 5 anos ele custava R$ 47,43 para o consumidor. 

Esses aumentos sucessivos se devem a alguns fatores. Primeiro: desde 2019 o atual governo estipulou que as mudanças no valor do GLP iam ocorrer de acordo com as variações do mercado internacional de petróleo. Essa nova política difere do que ocorria em anos anteriores, pois o preço do gás de cozinha havia permanecido congelado de 2007 a 2014, sendo que o governo Temer, em 2017, passou a realizar reajustes programados mensais, que depois começarem a ser trimestrais, após a recepção negativa da medida.

Outro fator que tem contribuído para o crescimento do preço do botijão é o contexto da pandemia. Em 2020, houve um crescimento da demanda pelo GLP, mais usado justamente para cozinhar e aquecimento, reflexo do maior tempo dos consumidores em casa. Outros derivados do petróleo, por exemplo, como a gasolina e o diesel, tiveram seus preços diminuídos ao longo do ano anterior, devido às restrições de circulação, com as pessoas usando menos automóveis para se locomover. 

Diante dessas variáveis, a tendência é que o gás de cozinha continue a subir em 2021, o que coloca muitas famílias em mais dificuldade, precisando depender de métodos de aquecimento rudimentares, como a lenha. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, Alexandre Borjaili, a expectativa é que o botijão de 13 quilos atinja um valor de R$ 150 a R$ 200 este ano.

Com informações do UOL Economia.

Leia tudo sobre

ANP Economia

Faça um comentário