Fnac garante que fica no Brasil e busca investimento para crescer

Empresa segue respondendo os consumidores pelo Reclame AQUI

Reprodução

Os brasileiros amantes dos livros e de livrarias receberam a notícia como uma bomba: a Fnac anuncia a saída do Brasil. Só que, ao que parece, tudo foi um grande engano e a empresa francesa vai manter seus negócios em nosso território nacional.

Logo após a divulgação da notícia no Brasil, que chegou pela agência francesa AFP, o ReclameAQUI Notícias traçou um perfil da Fnac no site, que segue respondendo os seus consumidores.

Em entrevista à Exame, o novo presidente da Fnac do Brasil, Arthur Negri, explicou a confusão e respondeu com firmeza se a empresa fica ou não no Brasil. "Fica. A intenção da companhia global para a subsidiária brasileira é buscar investidores e garantir, assim, a expansão do negócio. Não é uma decisão de saída, ao contrário, é a busca por um investidor para que o negócio cresça", disse Negri, que assumiu a Fnac há pouco mais de um mês.

 

O que diz a Fnac?

Depois da repercussão da história, a Fnac entrou em contato com o ReclameAQUI Notícias e explicou que diante de um cenário de crise econômica e do setor no Brasil, o país tornou-se inviável para crescimento, se não por meio de investimentos locais. Ou seja, hoje não é mais vantajoso para a Fnac investir sozinha em novas lojas no Brasil.

Veja a nota da Fnac na íntegra!

A Fnac anunciou nesta terça-feira (dia 1º de março) o seu resultado 2016. O novo grupo Fnac Darty está agora focado na nova estratégia de integração com Darty, transformando-se em um relevante player no continente europeu.

A operação brasileira precisa ter um tamanho crítico no sentido de ser relevante e reforçar sua posição de mercado. Devido a isso, a Fnac iniciou um processo ativo de busca de parceiro local para continuar e reforçar sua operação no país.

 

Fnac resolve problemas pelo ReclameAQUI

Como a rede de livraria continua muito ativa na internet, todos os consumidores que tiverem algum problema com a Fnac.com.br, é possível utilizar o ReclameAQUI e tentar uma solução. No canal, a empresa possui reputação "regular" e conseguiu responder 97,8% de suas reclamações. A média de solução em 2016 foi de 76%.

Faça um comentário