Entre maio e junho, reclamações sobre atraso na entrega crescem 81,9% para Correios

Dados do Reclame AQUI para o Bom Dia Brasil e Estadão mostram a evolução no crescimento de reclamações e a paciência que consumidores precisam ter ao aguardar suas compras

Reclame AQUI

Desde o dia 10 de março um consumidor de São Luís, no Maranhão, acompanha pelo código de rastreio dos Correios uma compra despachada de São Paulo. De acordo com a reclamação postada por ele no site do Reclame AQUI, a última atualização foi 01/04/2020, dizendo que o objeto não havia chegado a São Luís, onde ele mora. “Mas o site onde comprei (Mercado Livre) postou que o objeto foi entregue dia 09/05/2020. Sendo assim, não tenho a quem recorrer para resolver o problema!”

No caso desse consumidor de Vila Velha, Espírito Santo, que também monitora uma compra internacional, uma encomenda não sai de São Paulo e o rastreamento não atualiza desde o dia 23 de junho, e a outra foi parar em Pernambuco. 

“Eu fiz a compra da minha encomenda no dia 23/04, entrou no Brasil no dia 19/06 e no dia 23 já estava em São Paulo quase pronto para ser enviado para minha cidade, porém a encomenda não sai de São Paulo, os rastreamento não atualiza desde o dia 23.. tbm tem outra encomenda que não entendo o pq foi enviado para Pernambuco e também está sem ser atualizado a dias...”.

O que essas reclamações têm em comum é a espera de uma entrega que precisa ser feita pelos Correios. A pandemia trouxe com ela uma demanda muito grande de compras online, mas a velocidade da entrega não acompanhou.

Na última semana, o Instituto Reclame AQUI apurou dados para o jornal Estadão e o Bom Dia Brasil, da Rede Globo, sobre o volume de reclamações sobre atraso nas entregas de mercadorias para os Correios. De março a junho deste ano, 16.586 reclamações na página dos Correios sobre atraso nas entregas, o maior volume no mês de junho, 8.486 reclamações.

Acompanhe a evolução das reclamações sobre atraso na entrega de mercadorias:


 

Em entrevista ao Estadão, os Correios afirmaram “que há, neste momento, cerca de 1,5 milhão de encomendas em atraso, o que representaria 5% do total a ser entregue. Em meados do mês passado, esse atraso havia chegado a 7%, ou seja, 2,2 milhões de encomendas represadas”. E que os problemas foram causados, principalmente, pela redução de colaboradores por medidas de proteção pessoal, para não colocar em risco a vida dos colaboradores em razão do novo coronavírus, mas que a situação já estaria se ajustando.

A equipe de reportagem do Bom Dia Brasil, na edição de quarta-feira(8) mostrou quanto tempo pode demorar uma entrega. Despachou duas caixas de São Paulo para o Rio Grande do Sul e fez o acompanhamento da entrega.

Também conversou com o coordenador de segurança de informação Elvin Latorre, que foi despachar uma peça de carro. A expectativa dele é que a peça chegue em 2 dias úteis, mas quando questionado pelo repórter sobre quanto tempo acredita que vai levar, Latorre estima que uns 10 dias por conta de experiências anteriores.

Leia tudo sobre

Correios Feed

Faça um comentário