Em meio a recuperação judicial, Avianca tem mais reclamações sobre cancelamentos

Neste mês, 29% das queixas registradas por passageiros foram sobre voos suspensos

carlosyudica

Em dezembro do ano passado, a Avianca fez um pedido de recuperação judicial. O processo, que até então não havia afetado os passageiros, começou a ter consequências e gerou reclamações.

A companhia aérea informou que encerrará os voos diretos que partem de Guarulhos (SP) para Santiago, no Chile, e para Miami e Nova York, nos Estados Unidos. A medida vale a partir do dia 31 de março.

As reclamações sobre cancelamento para a Avianca aumentaram de 1º a 17 de janeiro de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado - foram 77 e 99 queixas, respectivamente.

Neste primeiro mês do ano, 29% das queixas foram sobre cancelamento – uma representatividade muito maior que os meses de grande procura e compra às vésperas de férias, e também maior que a média de todo o ano de 2018.

No geral, a Avianca, 4ª companhia aérea mais reclamada no Reclame AQUI, teve um aumento de 61% nas queixas de 2017 para 2018.

O que os passageiros devem fazer?

Em relação aos destinos acima citados, a Avianca diz que entrará em contato com todos os clientes que compraram bilhetes para voos posteriores à data mencionada e que os casos serão resolvidos individualmente.

Eles poderão escolher entre o reembolso integral do valor pago pela passagem ou reacomodação em voos de companhias aéreas parceiras da Avianca Brasil, sem custo extra. 

Veja: Principais cias aéreas sofrem aumento de 40% nas queixas em 2018

Reclamações do setor aumentam

O setor de companhias aéreas no Reclame AQUI teve um aumento considerável. Em 2017, foram 37 mil queixas, contra 51 mil no ano passado. O motivo de cancelamento foi o 3º que mais apareceu nas queixas dos passageiros em ambos os anos. Veja:

2017

1. Reembolso

2. Atendimento  

3. Cancelamento

4. Bagagem danificada

5. Atraso

2018

1. Reembolso

2. Atendimento  

3. Cancelamento

4. Bagagem danificada

5. Extravio

Se precisar, Reclame AQUI!

Fonte: G1

Leia tudo sobre

Aeroportos Cias Aéreas

Faça um comentário