Cor do leite nem sempre significa que o produto está estragado

Fabricantes devem orientar consumidor sobre composição e agitar antes do consumo

Reprodução

Um consumidor de Campinas fez uma queixa no Reclame AQUI alegando que o leite que comprou estava com a coloração amarelada. “Ao abrir uma caixa de leite, percebi que o mesmo estava com manchas amarelas, como se estivesse formando margarina”, diz na reclamação feita em março de 2017. No entanto, exceto se o produto estiver de fato estragado ou vencido, a coloração amarelada ou acinzentada de um leite não significa que o produto está impróprio para consumo.

Isso signica que a reclamação foi indevida? Não!

O Reclame AQUI Notícias conversou com o professor de microbiologia e micotoxicologia dos alimentos, Carlos Humberto Corassin, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo, que explicou que dependendo do tempo que o leite estiver armazenado, é comum a coloração não ser a branca que o consumidor está acostumado. “A cor branca do leite fica mais acinzentada quando você, por exemplo, desnata. Um leite desnatado fica mais opaco, é normal”, diz.

O mesmo acontece, orienta Corassim, nos casos dos leites tipo integral. “Com o leite integral, é comum a cor ficar mais amarelada, porque acontece o que chamamos de Reação de Maillard, que é quando há um tratamento térmico, queimando o açúcar do leite. Algumas pessoas até preferem esse tipo de leite por ficar mais adocicado”, explica o professor.

 

Uma empresa foi multada. Por quê?

Mas como o consumidor vai adivinhar que o leite mais cinza ou amarelo não esteja estragado? Se a empresa deixar claro no rótulo, pode ajudar muito.

Uma decisão divulgada pelo site do Conjur no último dia 27 de maio, em Goiás, condenou uma empresa de alimentos a pagar multa de R$ 46,8 mil após uma consumidora afirmar ter comprado leite impróprio para consumo, com cor acinzentada. Um laudo laboratorial, no entanto, não comprovou nenhum problema no produto. Vale lembrar que a empresa não foi condenada a indenizar o consumidor.

Mas o leite não estava estragado,  por que condenou?

A empresa fabricante de leite não seguia normas previstas no Decreto-Lei 986 de 1969, do Ministério da Agricultura nem resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre rótulos: não explicava que o pirofosfato férrico, adicionado ao leite, pode escurecer e solidificar o alimento.

"Neste caso, o consumidor fica vulnerável devido à falta de conhecimento técnico sobre a composição do alimento e se isso pode causar algum problema caso o líquido não seja agitado antes de ingerido. Inconformada com a multa, a empresa ajuizou ação para anulá-la e foi atendido pelo juízo de primeiro grau", diz a matéria do Conjur.

 

Agite antes de beber

O professor Corassim concorda que os fabricantes de laticínios devem deixar claro que o líquido deve ser agitado antes do consumo. “No geral, um leite produzido tem 80% de água, então pode acontecer de outros componentes mais pesados ficarem embaixo da caixa. Por isso, sempre é bom agitar, mesmo depois de aberto, antes de consumir”.

Leia tudo sobre

Alimentação

Faça um comentário