Contas de água do Rio chegam a triplicar em apenas um mês

Clientes da Cedae viram suas contas de luz triplicarem sem ter ocorrido de fato uma mudança em seus padrões de consumo. Consumidores afirmam que não há justificativa para tamanho aumento, mas a concessionária dos serviços de água e esgoto do Rio alega que as altas, na maior parte dos casos, são causadas por vazamentos.
 
Problemas com sua concessionária de água? Reclame AQUI!
 
A concessionária está na lista das 30 empresas mais processadas nos Juizados Especiais Cíveis do Tribunal de Justiça, caminho que José Francisco Januário se viu obrigado a recorrer para ter seus problemas com a instituição resolvidos, já que abrir quatro queixas no Reclame AQUI não foi o suficiente.
 
O consumidor fez reclamações relativas a falta de reparo na tubulação de sua rua - em duas a resposta foi de que a queixa estava sendo encaminhada ao setor correto e nas outras duas a resposta foi de que sua reclamação deveria ser encaminhada à prefeitura de Mesquita, cidade em que José Francisco mora que, por sua vez, alegou que o problema deveria ser resolvido pela Cedae mesmo.
 
José procurou o Reclame AQUI novamente por ver sua conta de água crescer do dia para a noite. Acostumado a pagar em torno de R$ 27 por mês, ele se assustou ao ver sua conta de setembro vir mais de R$ 78. O cliente se pergunta se terá que recorrer novamente à justiça para ver seu problema resolvido.
 

Novos medidores são a causa do aumento

A situação piorou desde que a troca dos hidrômetros, iniciada em 2006. Mais precisos, os novos medidores são capazes de registrar qualquer variação de consumo, o que explicaria parte do aumento de queixas sobre o valor das faturas, segundo a empresa. 
 

No Reclame AQUI

O Reclame AQUI notou um ligeiro aumento no número das reclamações a partir do mês de julho deste ano ao receber 245 protestos, 44 a mais do que no mesmo período de 2013. No mês de agosto, a diferença foi maior. Em 2013 a Cedae recebeu 208 queixas, número bem inferior às 340 recebidas no mesmo período deste ano. 
 
A tendência aparentemente se repetirá em setembro, já que ano passado foram recebidas 54 queixas nos primeiros 7 dias, 33 a menos do que as recebidas no mesmo período de 2014.
 
 
Veja também:

Faça um comentário