Conta de luz pode ficar mais barata a partir de fevereiro

Bandeira vermelha terá um patamar intermediário, mais barato, de R$ 3,50; mais caro segue em R$ 4,50

Arte/Reclame AQUI

Lembra daquele caso que publicamos sobre a Tarifa Branca? Uma ideia muito boa para o consumidor economizar na conta de luz, mas que nunca saiu do papel. Mas enquanto o projeto não começa, uma semana depois é anunciada uma notícia que pode dar um fôlego aos consumidores.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira, dia 26, a redução nas bandeiras tarifárias amarela e vermelha, que aumentam a conta de luz do consumidor quando fica mais caro produzir energia no país.

Como vai funcionar?

A partir de fevereiro, o valor da bandeira amarela vai cair de R$ 2,50 para R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, redução de 40%.

Já a bandeira vermelha terá um patamar intermediário, mais barato, de R$ 3,50 para cada 100 kWh. O patamar mais caro foi mantido em R$ 4,50 para cada 100 kWh.

Entenda as bandeiras

As bandeiras tarifárias coloridas – verde, amarela e vermelha – foram criadas como uma maneira de informar ao consumidor os custos que são repassados para a conta de luz com o acionamento de usinas termelétricas, que geram uma energia mais cara e são ligadas quando as hidrelétricas produzem menos por causa do baixo nível de seus reservatórios.

A Aneel divulga no próximo dia 29 de janeiro qual será a bandeira tarifária que vai incidir sobre as contas de luz de fevereiro. A bandeira vermelha encontra-se vigente, onerando a conta do consumidor, pelo menos desde março de 2015.

A decisão desta terça foi baseada em estudos da Superintendência de Gestão Tarifária da Aneel.

Fonte: Agência Brasil

Leia tudo sobre

Aneel Energia

Faça um comentário