Confira um histórico da Black Friday e as empresas mais reclamadas nas últimas edições

Reclame AQUI compilou as características de cada edição, quando monitorou o comportamento de consumidores e empresas

Reclame AQUI

O Reclame AQUI está em contagem regressiva para a Black Friday 2019, que acontece dia 29 de novembro. Mas enquanto o dia da grande promoção do varejo brasileiro não chega, confira informações e dicas valiosas para os consumidores ficarem preparados e seguros para aproveitar da melhor forma.

Algumas marcas anteciparam promoções

Muitas marcas já entraram no clima da promoção e oferecem descontos em produtos e fretes grátis há mais de um mês. E esta é uma das características da Black Friday no Brasil. Os consumidores têm a oportunidade de comprar com preços mais baixos por mais tempo, e aos poucos, com o passar das edições por aqui, a promoção, que nasceu nos Estados Unidos, ganhou uma versão própria.

As últimas edições foram monitoradas pelo Reclame AQUI e suas particularidades compiladas nesse material. Confira quais foram as empresas mais reclamadas e os principais motivos das queixas.

2013

Em 2013, o Reclame AQUi, pela primeira vez, monitorou o movimento da Black Friday. O total de queixas dessa edição foi de 8,5 mil durante as 24 horas de promoção. A edição mostrou que o e-commerce brasileiro não estava preparado para atender a demanda de Black Friday.

O evento sofria para ganhar a confiança do consumidor, e a falta de infraestrutura tecnológica deixou os consumidores brasileiros receosos e desconfiados, prejudicando as marcas.

A falta de estoque dos produtos anunciados foi um dos problemas levantados. No ranking, empresas com reputações Ótimo e Regular ficaram lado a lado.
 

2014

Na Black Friday 2014, as 12 mil reclamações registradas no Reclame AQUI foram um recado para empresas evoluírem. Além disso, mais de 1,3 milhão de pessoas acessaram o site para registrar queixas e conferir a reputação das empresas.

Os números refletiram a consolidação da data no calendário de compras do fim do ano e a necessidade de as lojas online e offline evoluírem para atender as demandas do consumidor em tempo real. Os consumidores criaram o hábito de pesquisar a reputação das empresas antes de fechar a compra e aprender com a experiência dos outros consumidores.

Problemas técnicos para acessar sites ou finalizar compras, maquiagem de preços, sumiço de produtos do carrinho virtual, problemas no pagamento e preços elevados de frete para “compensar” os descontos foram algumas das reclamações mais comuns.

No ranking das empresas com mais reclamações, o Extra.com.br, que liderou em 2013, caiu para 7º lugar em 2014, e a Americanas.com, que no ano anterior estava em 4º lugar entre as mais reclamadas, em 2014 passou a liderar o ranking, note que naquele ano ambas evoluíram em suas reputações.

Leia o balanço completo aqui!

 

2015

Na edição de 2015, o brasileiro comprou menos e pesquisou mais. Foram 4,4 mil reclamações,  um volume significativamente menor em relação aos anos anteriores.

Os problemas mais recorrentes foram propaganda enganosa, problema para finalizar compra e divergência de valores. Entre as empresas, a KaBuM!, que no ano anterior ficou em 5º lugar, subiu para o topo das mais reclamadas, e as reputações ficaram equilibradas.

Leia o balanço completo aqui

2016

A crise econômica de 2016 conteve o brasileiro, que teve muita cautela para comprar na Black Friday. Nessa edição, foram registradas 2,9 mil reclamações, uma redução de 34% em relação a 2015.

Os três principais motivos de reclamações foram propaganda enganosa, seguido de divergência de valores e problemas na finalização da compra. A loja virtual KaBuM! fechou a edição do evento de novo na liderança das empresas mais reclamadas, seguida da Americanas.com e Submarino.

Nessa edição houve um aumento de empresas reclamadas com boa reputação. Isso representa a confiança do consumidor na marca, de que se houver problema, a marca resolve.

Leia o balanço completo aqui! 

 

2017

Em 2017, os consumidores fizeram 3,5 mil queixas no Reclame AQUI durante as 24 horas de ofertas, um aumento de 20,6% em relação a 2016 - reflexo do aumento de vendas também.

Propaganda enganosa, problemas na finalização da compra e divergência de valores foram os principais motivos das queixas na Black Friday de 2017. A Magazine Luiza – Loja Online, que em 2016 ficou em 5º lugar, ficou desta vez no topo do ranking de volume de reclamações, seguida da Americanas.com e KaBuM!.

Leia o balanço completo aqui!

2018

Na edição do ano passado, o monitoramento Reclame AQUI da Black Friday foi ampliado. As reclamações chegaram a 5.607 e foram coletadas desde as 11h da quarta-feira, dia 21, até as 23h59 de sexta-feira, dia oficial da promoção.

O grande volume de reclamações veio acompanhado com o aumento de acessos histórico do site Reclame AQUI, o que mostra consumidores preparados para pesquisar antes de comprar, arriscando menos e aproveitando bem as ofertas. Propaganda enganosa, divergência de valores e problemas na finalização de compras lideraram os problemas.

Entre as empresas mais reclamadas, a Americanas.com - Loja Online liderou o ranking, seguido de Casas Bahia - Loja Online e Netshoes, esta a única marca com reputação Não Recomendada entre as 10 mais reclamadas. Foi uma edição marcada pela relevância da reputação das empresas. 

Leia o balanço completo aqui! 

Leia tudo sobre

Black Friday Feed

Faça um comentário