Comercial da Dolly para a Páscoa é proibido de ir ao ar

Pedido de sustação de propaganda veiculada desde 2007 foi aprovado por unanimidade pelo Conar

Reprodução

"A Páscoa chegou, trazendo o amor, com Dolly, dois Dollys, três Dollys". O vídeo no melhor estilo Dolly veiculado na Páscoa há dez anos está com os dias contados. As crianças vestidas de coelhinho, em um cenário cheio de ovos coloridos e interagindo com o personagem Dollynho foram o motivo que levou o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) a pedir a retirada do ar da propaganda.

O Conar abriu o processo no dia 11 de abril por iniciativa do próprio conselho, que interpretou que a peça descumpre o artigo 37 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária -  veda a participação de crianças em propagandas "como modelos para vocalizar apelo direto, recomendação ou sugestão de uso ou consumo".

O caso foi julgado na última terça-feira, dia 30, pelo Conar, que decidiu por unanimidade pela "sustação agravada por advertência ao anunciante, por unanimidade”. Segundo informou o órgão, a fabricante não apresentou defesa durante o julgamento do processo.

 

Tire a propaganda da internet!

A decisão é de primeira instância e ainda cabe recurso ao próprio Conar. Mas a recomendação do Conar é que o comercial seja retirado imediatamente das páginas da marca na internet.

Procurada pela reportagem do G1, a Tholor, responsável pela marca Dolly, informou que não foi notificada pelo Conar e se disse surpresa pela abertura do processo neste ano uma vez que o comercial é veiculado desde 2007.

"A empresa se surpreende com a notícia, já que a Páscoa foi comemorada há mais 45 dias e o comercial é veiculado anualmente desde 2007 nas principais emissoras de televisão do país, sem nunca ter sido alvo de notificação do órgão", afirmou, em nota.

 

Comercial ainda está no ar

Não foi difícil encontrar o comercial de Páscoa do refrigerante Dolly na internet. Tanto no canal oficial da bebida como em diversos outros canais, é possível assistir à peça publicitária.

 

No Reclame AQUI

Os refrigerantes Dolly receberam 107 reclamações em 2017 até 31 de maio. Entre os motivos de queixas mais comuns, 72,9% dos consumidores reclamaram do gosto ruim do refrigerante. Em segundo lugar, com 12%, as pessoas reclamaram de cheiro estranho, enquanto que 9,3% citam nas reclamações "objeto estranho" no produto.

E você, o que achou dessa decisão do Conar?

Leia tudo sobre

Bebidas Conar

Faça um comentário