Black Friday é a última chance de aproveitar descontos antes dos impostos

Eletrônicos passam a ter cobrança total de PIS e Cofins a partir de dezembro

Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Em dezembro, o consumidor brasileiro vai ter de pagar mais impostos em alguns segmentos importantes do varejo como eletrônicos, vinhos e destilados. Isto é, três dias depois da Black Friday.

Foram 10 anos de isenção, mas os computadores, smartphones, notebooks, tablets, modens e roteadores voltarão a pagar alíquota cheia de PIS e Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins).  

Além disso, um novo modelo de tributação será praticado para vinhos, espumantes, uísques, vodcas, cachaças, licores, sidras, aguardentes, gim, vermutes e outros destilados, com aplicação também a partir de dezembro deste ano.

Mas por quê?

De acordo com a Receita Federal, embora a mudança do modelo de tributação deva gerar receitas adicionais, estimadas em R$ 1 bilhão em 2016, a mudança visa simplificar o processo de cobrança e passar a tributar o setor com um modelo tradicional, já aplicado ao restante da economia.

"O sistema atual (que vigora até novembro) gera problemas e perda de arrecadação. Há uma dificuldade grande de manter a tributação adequada. O contribuinte podia praticar preços mais baixos que o normal na hora de pedir enquadramento e depois voltava a cobrar mais. Um vinho de R$ 50 reais paga no máximo R$ 0,73. Vinho de R$ 1 mil também paga também R$ 0,73. O teto é muito baixo. Não tem sensibilidade ao preço e gera distorções que se busca corrigir", declarou João Hamilton Rech, da Receita Federal.

Já os tributos sobre computadores dão fim ao benefício que estava no Programa de Inclusão Digital, existente desde 2005. A expectativa do governo é arrecadar R$ 6,7 bilhões a mais em 2016.

Fonte: G1

Leia tudo sobre

Anatel Black Friday Imposto

Faça um comentário