Bancários entram em greve nacional a partir de amanhã

Veja seus direitos diante da paralisação e evite passar por qualquer dor de cabeça

Reprodução

A partir de amanhã, dia 6, os bancários entrarão em greve nacional por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada na última quinta-feira, dia 1º.

As principais reivindicações da categoria são reajuste salarial de 14,78%, dos quais 5% de aumento e 9,31% de reposição da inflação, reposição das perdas dos vales-alimentação e refeição e na participação nos lucros e resultados (PLR), piso salarial de R$ 3,9 mil, ampliação das contratações, proteção aos empregos e melhoria geral das condições de trabalho.

A Federação Nacional dos Bancos ofereceu aos bancários reajuste de 6,5% no salário e nos auxílios refeição, alimentação, creche, mais R$ 3 mil de abono, mas não houve acordo e a proposta foi rejeitada pela categoria.

De acordo com a Contraf (confederação que representa trabalhadores do ramo financeiro), a paralisação foi aprovada em assembleias de cerca de 140 sindicatos e federações pelo país realizadas na última semana.

Além do reajuste, outro tema da pauta de reivindicações é a regulamentação do atendimento remoto. De acordo com a Contraf, a digitalização dos serviços bancários vem acentuando a tendência de cortes de pessoal no mercado. Atualmente, o setor emprega 512 mil funcionários em todo o Brasil, segundo a entidade.

Clientes

Clientes que precisarem de serviços durante a paralisação deverão utilizar caixas eletrônicos ou ligar para as centrais de atendimento dos bancos. É possível consultar saldo ou fazer transferência via telefone, por exemplo.

Essas e outras funções também estão disponíveis nos sites dos bancos ou por meio de aplicativos para tablets e smartphones. Pagamentos de contas e saques também podem ser feitos em lotéricas.

Como ficam seus direitos?

Esse tipo de greve costuma atrapalhar o funcionamento de trâmites comuns, como o pagamento de contas. Para que o consumidor não passe por qualquer dor de cabeça em períodos de paralisação como esse, o Reclame Aqui Notícias preparou um conteúdo especial. Clique aqui e fique por dentro!

Fontes: Folha de S. Paulo/Estadão

Faça um comentário