Aumentam as reclamações de cobrança indevida contra aplicativos mobile em 2019

Foram registradas mais de 12 mil reclamações contra os principais aplicativos mobile de todos os segmentos de janeiro a abril de 2019

Reclame AQUI

O uso de aplicativos de celular já são tendência, mas com isso as reclamações e problemas também vão surgindo. O principal deles é cobrança indevida, dos mais diversos tipos: ou o aplicativo não deixa claro que vai efetuar a cobrança, ou consumidores que pedem o estorno de um valor pago errado, entre outros.

Em um levantamento realizado pelo Reclame AQUI, de janeiro a abril de 2019 já foram registradas 12.429 reclamações contra os principais aplicativos mobile de todos os segmentos, um aumento de 91% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 6.503.

Alimentação, música, pagamento, streaming de vídeo e transporte são as categorias que mais têm crescido no número de reclamações. Um exemplo disso é o aumento de 10 vezes no volume de queixas no setor de alimentação, que em 2018 registrou 439 e agora, em 2019, já ultrapassou 4.500.

Outro setor que cresceu foi o de transporte alternativo, que ano passado registrou 30 reclamações e esse ano já chegou na marca de 885, ocupando agora o ranking de 4º lugar.

Uma consumidora de São Paulo relatou, por exemplo, uma cobrança que ela não reconhece por um aplicativo de transporte, onde lhe foi cobrado R$89,86. “Essa corrida não está registrada nas viagens do aplicativo da minha mãe, nem no meu. Ninguém fez essa viagem e o aplicativo descontou da conta dela esse valor absurdo”, registra.

Direitos do consumidor

Muitos consumidores têm esse problema da cobrança, mas deixam passar por ser algo de pouco valor. Felipe Paniago, diretor de operações do Reclame AQUI, reforça a importância de ir atrás do seu direito. “Por menor que seja o valor, é do direito de o consumidor reclamar e ser ressarcido. Se a empresa for séria, ela irá resolver. Mas antes de ter um problema, é sempre recomendado pesquisar bem antes de contratar algum desses serviços”.

Já viu? FOX é proibida de disponibilizar conteúdo de forma gratuita na internet

Faça um comentário