Anac suspende todos os voos da Avianca Brasil por motivos de segurança

Cia aérea somou mais de 3,8 mil reclamações na plataforma do Reclame AQUI nos últimos 4 meses

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu nesta sexta-feira (24), preventivamente, todas as operações da Avianca Brasil por questões de segurança. Segundo a agência, a empresa aérea não estava comprovando as condições mínimas exigidas, como manutenção dos aviões.

"Estão suspensos todos os voos até que a companhia aérea comprove capacidade operacional para manter as operações em segurança", publica Anac.

A companhia foi comunicada pela manhã, e todos os aviões estão parados nos aeroportos. "A Avianca Brasil informa que está suspendendo temporariamente suas operações e reitera que está totalmente focada em dar continuidade ao seu plano de recuperação judicial”.

Relatos no Reclame AQUI

De acordo com dados levantados pelo Reclame AQUI Notícias, do dia 1º de janeiro até 30 de abril de 2019, a Avianca Brasil somou mais de 3,8 mil reclamações na plataforma do Reclame AQUI. Somente no mês de abril, foram 1.748 queixas.

O principal motivo de reclamação é de cancelamento dos voos. Do número total de queixas dos últimos quatro meses, 1.848 (48%) foram somente sobre cancelamento.

Já está com a passagem comprada? Saiba o que fazer

A agência recomenda que passageiros com voos para os próximos dias entrem em contato com a Avianca Brasil e não se desloquem para o aeroporto até que novas informações sejam divulgadas.

Segundo o diretor de operações do Reclame AQUI, Diego Campos, além do Código de Defesa do Consumidor (CDC), há regras estabelecidas pela Anac que descrevem as responsabilidades das empresas aéreas diante a situação.

“A companhia aérea possui três opções. Ela é obrigada a realocar o passageiro em outro voo, seja da própria companhia ou de uma parceira; reembolsar integralmente o valor pago pelo cliente imediatamente. Lembrando que se a pessoa pagou a passagem em dinheiro, a empresa no ato tem que devolver o valor em dinheiro, se a pessoa pagou no cartão de crédito, a empresa no ato tem que solicitar o estorno para a administradora do cartão. Ou oferecer ao passageiro um outro meio de transporte para ele realizar a sua viagem”, diz Campos.

Diego ainda ressalta que a decisão é do passageiro. “Se o passageiro chegar e falar que quer ser realocado em outro voo, a companhia tem que se virar e acomodar o cliente em outro voo sem questionamentos. Às vezes, por diversas questões, a empresa não consegue um voo para o mesmo dia, mas ela tem que dar condições para o passageiro viajar no outro dia ou negociar com ele o que pode ser feito. Não existe a possibilidade de a companhia não aceitar a decisão do cliente nesses casos”, diz.

Leia também: Sua bagagem de mão tem as medidas certas para embarcar? Tire suas dúvidas

Fonte: UOL

Faça um comentário