Mais impostos: bolso do consumidor sofrerá com preço da gasolina

Alta deverá ser de 41 centavos por litro de gasolina e 21 centavos por diesel

Reprodução

O governo decidiu aumentar o PIS (Programa de Integração Social)/Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) sobre os combustíveis e, mais uma vez, sobrou para o bolso do consumidor.

Alguns postos já aumentaram o preço da gasolina pelo país. O aumento da tributação representará uma alta de 41 centavos por litro de gasolina e de 21 centavos por litro de diesel. Já a alíquota sobre o etanol passa de 12 centavos para 13 para o produtor. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentará para 19 centavos.

Gasolina adulterada: Como evitar e quais seus direitos como consumidor

O impacto deste aumento de preços para o consumidor final vai depender, no entanto, da decisão das redes de combustíveis e das distribuidoras. Caso os postos repassem o imposto integralmente, um brasileiro que for encher, por exemplo, o tanque de gasolina de um carro de 40 litros, terá que desembolsar 16,40 reais a mais do que está acostumado.

Medida necessária

O governo argumentou que a medida é “absolutamente necessária” para a preservação do ajuste fiscal e a manutenção da trajetória de recuperação econômica.

A equipe econômica optou por subir o PIS/Cofins porque não precisa ser aprovado pelo Congresso e a entrada de recursos é instantânea. Por isso, já há relatos de postos mudando os preços dos combustíveis.

O presidente Michel Temer falou sobre o aumento ao chegar na Argentina para participar da Reunião de Cúpula do Mercosul. “A população vai compreender porque este é um governo que não mente, não dá dados falsos. É um governo verdadeiro, então, quando você tem que manter o critério da responsabilidade fiscal, a manutenção da meta, a determinação para o crescimento, você tem que dizer claramente o que está acontecendo. O povo compreende.”

No Reclame AQUI: Tudo sobre postos de combustível

Fontes: Exame/El País

Faça um comentário