Black Friday é mais movimentada durante manhã de sexta

Reclamações relacionadas ao evento chegaram a 1.179 ao meio dia

ReclameAQUI

A manhã da Black Friday 2016 começou mais movimentada que a madrugada na comparação com os dados da promoção no ano passado. Mas na média a promoção está marcada por muita consulta e muita pesquisa por um lado, e menos compras e reclamações por outro. Os dados apontam para o segundo recuo seguido no volume da megapromoção no país.

Reclamações classificadas pelos consumidores como relacionadas à Black Friday chegaram a 1.179 ao meio-dia desta sexta, computadas desde as 18h de quinta. É uma queda de cerca de 25% em relação ao mesmo período de 2015. A queda, no entanto, foi maior na madrugada, chegando a 36% entre meia-noite e 6h. Já entre 7h e 12h, a queda foi menor: 18% em relação ao ano anterior. O pico de reclamações nesta manhã aconteceu às 10h, com 182 registros. Em 2015, a hora mais forte foi 11h, com 215 reclamações.

A Kabum! manteve a liderança isolada no quadro com 259 queixas, seguida da Americanas.com-Loja Online, com 111, e Netshoes, com 63 reclamações. Pela grande diferença entre primeiro e segundo lugares, tudo indica que a Kabum! deve alcançar o "bicampeonato" de reclamações durante as 24 horas de Black Friday, assim como aconteceu em 2015.

Os três principais motivos de reclamações até as 12h desta Black Friday foram propaganda enganosa, divergência de valores e problemas na finalização da compra.

Mais pesquisa e redes sociais

Embora esteja reclamando menos, reflexo do menor volume de compras e do menor congestionamento dos sites, o consumidor está pesquisando mais. Houve um crescimento de 17% no volume de acessos às páginas de reputação das empresas no Reclame AQUI.

Nas redes sociais, a Black Friday conseguiu pela manhã mais destaque relativo que na madrugada, mesmo com a crise no governo de Michel Temer e o pedido de demissão do ministro Geddel Vieira Lima, que tomaram conta dos noticiários nas últimas horas. A Americanas chegou ao 14º lugar nos Trending Topics do Twitter, enquanto tinha sido no máximo o 19º antes de amanhecer.

Os homens falaram mais da Black Friday nas redes sociais e também lideraram as reclamações. Foram deles 67% das queixas registradas no Reclame Aqui e 58% dos posts no Facebook e Twitter tratando da promoção.

A faixa etária que mais reclamou foi entre 25 e 35 anos, concentrando 43,1% das queixas registradas, seguida pela faixa entre 36 e 45 anos, com 17,5%.

Leia tudo sobre

Black Friday

Faça um comentário